Loading...

Total de visualizações de página

Postagens populares

domingo, 31 de outubro de 2010

Identifique os problemas que não deixam seus pulmões trabalharem bem e veja como tratá-los

Esses órgãos provavelmente não ocupam o primeiro lugar em sua lista de preocupações. Mas deveriam. Se eles não estão funcionando direito, pode ter certeza de que o resto do seu corpo sente essa deficiência. Aqui, as doenças que podem afetar seus pulmões e como combatê-las.

Pneumonia
O QUE É: infecção causada pela inalação de bactérias, fungos ou vírus que irritam os alvéolos e deixam um ou os dois pulmões com pus e líquido.
SINAIS: tosse com escarro (podendo conter sangue escuro), dores reumáticas e torácicas, febre, calafrios, dor de ouvido e de garganta, aceleração do pulso e respiração ofegante.
CONTRA-ATAQUE: a vacinação adequada reduz o risco de desenvolver a pneumonia.

Bronquite
O QUE É: infecção por bactéria ou vírus em ductos brônquicos que desencadeia
inflamação, produção excessiva de muco e dor ao tossir. Refluxo gastroesofágico, fumo e poluição aumentam o risco de bronquite.
SINAIS: expectoração mucosa e dificuldade para respirar.
CONTRA-ATAQUE: de acordo com estudo publicado no American Journal of Medicine, a vaporização ajuda a limpar o muco dos pulmões. Durante um banho quente, inspire o vapor da água.

Câncer de pulmão
O QUE É: tipo comum de câncer que geralmente é causado pelo tabagismo.
SINAIS: tosse persistente, respiração curta, escarro com sangue, rouquidão, dor torácica ao respirar, entre outros.
CONTRA-ATAQUE: beba vinho. Um copo por dia reduz em 13% o risco de desenvolver a doença. Mas cuidado:álcool piora a crise asmática e a bronquite.

Hipertensão pulmonar
O QUE É: ocorre quando há pressão sangüínea alta nas artérias.
SINAIS: os mais comuns são fadiga e respiração curta. O diagnóstico complexo exige exames adicionais.
CONTRA-ATAQUE: o teste de BNP relaciona altos níveis desse hormônio específico a um maior risco da doença. Se você tem histórico familiar, faça esse exame.

Asma
O QUE É: receptores hipersensíveis dos brônquios são ativados por alergias,
exercícios ou estresse, causando inflamação, broncoconstrição (estreitamento da passagem interna de ar para os pulmões) e produção excessiva de muco.
SINAIS: freqüentes crises de falta de ar, chiado no peito, tosse forte durante a noite e respiração curta pela manhã são alguns avisos. Os homens são de duas a quatro vezes mais propensos a ter asma do que as mulheres.
CONTRA-ATAQUE: "O consumo regular de café ou chá é benéfico, pois essas bebidas contêm cafeína e teofilina, que atuam como broncodilatadores", ensina o dr. José Ernesto Succi, professor adjunto da Unifesp, especialista em tórax.

Fonte:menshealth

Não seja surpreendido por cãibras, alergias e outras ciladas na hora H. Saiba como se prevenir

Quem transa já passou por alguns dos inconvenientes que listamos aqui.
No auge da excitação, uma investida mais brusca ou uma pegada de mau jeito podem de' agrar desconfortos sem maior importância, como uma cãibra, ou até problemas mais sérios que obrigam você a ficar de repouso. "Um bom condicionamento físico ajuda a prevenir a encrenca, mas imprevistos acontecem com qualquer um", explica a sexóloga pernambucana Valéria Walfrido. Logo, fique esperto para minimizar os riscos. Se mesmo assim a sorte falhar, siga nossas dicas para garantir uma recuperação rápida e ficar pronto para outros momentos tão prazerosos.


1. MARCAS DE UNHA
O que são: aquelas "discretas" feridas que sua mulher carimba em todo o seu corpo quando você capricha na performance e ela se empolga.

Conseqüências: dependendo do afinco com que ela crava suas garras, "a lesão pode sangrar, inflamar e até infeccionar", avisa a dermatologista paulistana Luciane Scattone, consultora da Men's Health. Em alguns casos, há formação de pus e de uma crosta durante o processo de cicatrização. "Sem contar que a marca pode permanecer para sempre", alerta a médica.

Como prevenir: peça gentilmente que sua parceira corte um pouco as unhas. Assim o estrago será menor. "Também é importante que as mãos estejam bem lavadas para eliminar bactérias", recomenda Luciane.

Como tratar: "Nos dois primeiros dias, lave a região traumatizada com água e sabonete e aplique uma pomada antibiótica", aconselha a dermatologista. "Nos cinco dias subseqüentes, repita a higienização, mas troque a pomada por uma solução anti-séptica", ensina. Assim que a casca do ferimento cair, passe protetor solar no local até que a mancha desapareça.


2. ALERGIA AO LÁTEX OU AO LUBRIFICANTE
O que é: reação alérgica aos materiais de que são feitas as camisinhas.

Conseqüências: vermelhidão, coceira e/ou pequenas feridas semelhantes às provocadas pelo herpes. Se você já tem histórico de alergia a alimentos, ácaro ou outras substâncias, fique de olho, pois o risco é maior.

Como prevenir: se a causa for o lubrificante, basta excluir a marca que provocou o problema e testar outra na próxima vez. Mas se você tem alergia ao próprio látex, o jeito é programar a noite e se precaver. "Tome um antialérgico no dia anterior e, antes de colocar o preservativo, espalhe um creme de corticóide ou um à base de silicone no pênis", recomenda Luciane Scattone. "Retire a proteção logo depois do ato", completa a dermatologista. "Em geral, a alergia costuma ser branda."

Como tratar: também com cremes de corticóide e remédios antialérgicos.

3. DOR NAS COSTAS
O que é: dor provocada por trauma decorrente de movimentos muito intensos, posição desconfortável para a coluna, colchão muito mole ou uma combinação desses fatores.

Conseqüências: "Os trancos na hora de transar podem tanto causar nova lesão nas costas como despertar um problema preexistente", avisa o quiropraxista Jason Gilbert, do Instituto Internacional de Quiropraxia, em São Paulo. Por isso, a intensidade da dor varia.

Como prevenir: segundo Gilbert, você deve prestar atenção nos sinais do seu corpo. "Se determinada posição incomodar sua coluna, não insista e mude", aconselha. Se você já tem um problema conhecido, escolha uma que exija menos movimentos (a mulher por cima, por exemplo). E opte por um colchão mais firme.

Como tratar: "Logo que a dor aparecer, envolva gelo em uma toalha e aplique na região por 20 minutos", ensina o quiropraxista. Se os sintomas permanecerem ou se intensificarem nos dias subseqüentes, procure orientação médica.

4. CÃIBRA
O que é: "É uma reação do organismo à sobrecarga no músculo", resume o clínico-geral Flávio Dantas, da Universidade Federal de São Paulo. Segundo ele, isso acontece quando você fica muito tempo em uma posição que contraia o tecido muscular. Então a reserva de oxigênio que fornece energia para essas células passa a ser insuficiente, e o corpo reclama.

Conseqüências: dor e rigidez. Esses sintomas indicam que você abusou de seu músculo. Como prevenir: "É importante consumir alimentos com sódio, cálcio e potássio, como água-de-coco, leite e banana. Esses minerais regulam a contração muscular", diz Dantas. Valéria Walfrido explica que a posição que favorece cãibras é aquela em que o homem fica em pé forçando a panturrilha para cima e para baixo enquanto segura a parceira. Por isso, se o problema aparece com freqüência, escolha outra posição ou aumente a ingestão desses nutrientes.

Como tratar: relaxe, saia da posição de contração e espere o desconforto passar. "E alongue o músculo comprometido", recomenda Valéria. De qualquer forma, a cãibra costuma desaparecer depois de alguns segundos.


5. ATAQUE CARDÍACO
O que é: durante qualquer exercício físico (e o sexo está incluído nesse grupo), o coração trabalha mais para distribuir sangue aos músculos. "Com o ritmo acelerado, se houver uma obstrução nas artérias, o fluxo fica comprometido e há risco de ataque cardíaco", explica Flávio Dantas. Segundo o médico, isso não é comum durante uma transa. "O ataque decorrente do ato sexual e de qualquer atividade física representa apenas 0,6% dos casos de morte súbita."
Conseqüências: você sabe que o assunto é sério e pode levar a pessoa à morte. "Os principais sintomas são dor no peito, com ou sem irradiação para o braço esquerdo, falta de ar, sudorese e dor na região do estômago", detalha o urologista Celso Gromatsky, consultor da Men's Health.

Como prevenir: se você tem algum fator de risco como obesidade, sedentarismo, colesterol alto, diabetes, hipertensão ou histórico familiar de doença cardíaca, é fundamental um acompanhamento médico periódico. "Condicionamento físico e alimentação balanceada ajudam muito a prevenir o problema", conclui Dantas.

Como tratar: ao notar os primeiros sintomas, vá imediatamente ao hospital mais próximo. O tratamento varia de acordo com o caso. Pode ser cirúrgico ou com medicamentos. Em alguns casos o paciente pode ser submetido a uma angioplastia - procedimento em que se utiliza um aparelho para desentupir a artéria comprometida.


6. FRATURA PENIANA
O que é: "O pênis possui três cilindros, chamados corpos cavernosos, que são compostos de músculos e revestidos por uma membrana resistente. Quando ocorre uma ereção, essas estruturas se enchem de sangue, conferindo rigidez ao membro. Uma ' exão abrupta pode fazer com que a membrana se rompa, desencadeando o problema", explica Gromatsky.

Conseqüências: a dor costuma ser muito intensa, o pênis incha e, devido ao extravasamento de sangue, forma-se um hematoma. "O membro fica com aspecto de berinjela", compara o urologista.
Como prevenir: "Muito cuidado na posição em que a mulher fica por cima", alerta Valéria Walfrido. O acidente, de acordo com a sexóloga, acontece principalmente quando o pênis é totalmente retirado da vagina. "No momento da reintrodução pode haver uma ' exão brusca caso o membro não atinja corretamente o alvo."

Como tratar: se acontecer a fratura, corra para o hospital. "Geralmente o tratamento é cirúrgico e, quanto mais rápido for o atendimento, maior a chance de o paciente se recuperar completamente", diz Gromatsky. Normalmente a fratura não deixa nenhuma seqüela. Menos mal. O único inconveniente é que seu amigão terá que ficar um tempo sem comparecer.


7. CHUPÃO
O que é: aquela mancha nada discreta, vermelha ou roxa, que aparece no seu pescoço ou em outras partes sensíveis do corpo depois de momentos picantes de "sucção".

Conseqüências: um chupão bem dado rompe microvasos sangüíneos da região, deixando-a dolorida, com aquela mancha que você conhece bem. Ela demora cerca de sete dias para desaparecer completamente. E o pior: fica vermelha, roxa, amarelada, enfim, uma variação de cores para ninguém botar defeito e para você pagar bastante mico nas reuniões de trabalho.

Como prevenir: impossível, só pedindo para sua parceira maneirar na empolgação. Como tratar: você pode optar entre a arnica, que é um produto natural, e outras pomadas que você passa sobre as pancadas de uma partida de futebol (como Reparil e Hirudoid). "Aplique o produto cinco vezes ao dia", afirma Luciane Scattone. "Essas fórmulas contêm substâncias
que ajudam na cicatrização dos vasos e fazem a mancha sumir mais rapidamente."


MALHE SEM PREOCUPAÇÃO MÚSCULOS FORTES PARA UM DESEMPENHO MELHOR A atividade física ajuda a prevenir metade desses problemas que estragam sua noite. "O alongamento e o fortalecimento das musculaturas abdominal e paravertebral protegem sua coluna e evitam que você tenha dor nas costas", diz o 4 siologista Paulo Zogaib, da Universidade Federal de São Paulo. Sem contar que alongar os músculos também evita cãibras, pois os torna mais preparados para o processo de contração. Siga os exercícios:

FORTALECIMENTO (3 séries/10 repetições)

Abdominal simples: Deite de costas, flexione as pernas e contraia o abdome. Levante os ombros em direção ao joelho devagar. Retorne à posição inicial.

Hiperextensão da coluna paravertebral: De bruços, num plano mais alto que o solo, apoie pernas e cintura. Solte cabeça e peito para baixo e force para cima. Volte ao início

Agachamento: Com as pernas paralelas e abertas, agache flexionando os joelhos. Concentre a força para subir no calcanhar.
ALONGAMENTO
(10 segundos na posição/
4 repetições)

Alongamento de posteriores: Fique em pé com as pernas esticadas e tente alcançar os pés com a ponta das mãos.

Alongamento da virilha: Afaste bem as pernas. Dobre uma delas mantendo a outra esticada. Volte ao início e repita do outro lado.

Alongamento de pernas e virilha: Afaste bem as pernas e dobre os dois joelhos. Sinta alongar a parte interna das coxas (músculo adutor) e a virilha.

Fonte:menshealth

Nasa divulga o maior e mais completo mapa de Marte já feito


O mapa foi construído a parir de 21.000 fotografias obtidas pela sonda Mars Odissey
Imagem do atlas de Marte com zoom no Olympus Mons, o maior vulcão do Sistema Solar. Nasa
mapa foi construído a parir de 21.000 fotografias obtidas pelo Sistema de Imagem por Emissão Térmica ("Themis"), uma câmera de infravermelho a bordo da sonda Mars Odissey, da Nasa. A câmera começou a fotografar Marte há oito anos.
As imagens foram suavizadas, combinadas, misturadas e controladas cartograficamente, para produzir um mosaico gigantesco. Usuários podem "deslizar" sobre as fotos, ampliá-las ou reduzi-las.

Relevo da superfície marciana, com as altitudes codificadas em cores, do azul ao vermelho. Nasa
Em zoom total, os menores detalhes da superfície têm diâmetro de 100 metros. Algumas regiões específicas de Marte já foram fotografadas em resolução maior, mas esta é a melhor disponível para o planeta como um todo.
Fonte: http://www.estadao.com.br/noticias/vidae,nasa-divulga-o-maior-e-mais-completo-mapa-de-marte-ja-feito,585203,0.htm

Descobertos pares de planetas gigantes ligados entre si

Descobertos pares de planetas gigantes ligados entre si
Planetas maiores que Júpiter orbitam separados por uma distância menor que a entre a Terra e Marte

Centenas de planetas extrassolares já foram descobertos nos últimos 15 anos, a maioria deles mundos solitários orbitando suas estrelas em aparente isolamento. Novas observações, no entanto, mostraram que um terço dos sistemas contém dois ou mais planetas, mas distantes entre si. Agora, pesquisadores do Instituto de Tecnologia da Califórnia (Caltech) descobriram dois ssitemas com pares de planetas gigantes presos num abraço orbital.

Em um dos sistemas, o par planetário gira em torno da estrela moribunda HD 200964, localizada a cerca de 223 anos-luz da Terra, a dança gravitacional dos planetas é mais apertada que em qualquer outro par já visto. "Este par veio num pacote surpresa", disse o líder do estudo, John A. Johnson, em nota.
"Um sistema planetário com gigantes tão próximos seria destruído rapidamente se os planetas não estivessem fazendo uma dança nem sincronizada. É um enigma como os planetas acharam o ritmo", acrescenta Eric Ford, da Universidade da Flórida.

Artigo assinado por Johnson, Ford e colegas sobre a intrigante mecânica orbital dos planetas será publicado no periódico Astronomical Journal.
Todos os quatro exoplanetas recém-descobertos são gigantes gasosos com mais massa que Júpiter, e como a maioria dos planetas já descobertos fora do Sistema Solar, foram encontrados medindo-se o deslocamento que causam na estrela central de seus sistemas.

A distância entre os planetas orbitando HD 200964 pode chegar a 0,35 Unidade Astronômica, comparável à distância que separa a Terra de Marte.
Os planetas em órbita da segunda estrela estudada, 24 Sextanis, a 244 anos-luz da Terra, estão a 0,75 Unidade Astronômica, ou cerca de 100 milhões de quilômetros. Em comparação, Júpiter e saturno nunca estão a menos de 500 milhões de quilômetros um do outro.

Por causa de suas grandes massas e pequena distância, cada um dos planetas exerce uma profunda influência gravitacional em seu parceiro. A atração entre os planetas de HD 200964, por exemplo, é 700 vezes maior que o que existe entre a Terra e a Lua.

Os pares se mantém estáveis porque suas órbitas se encontram em ressonância. Quando planetas entram em ressonância, seus períodos orbitais se relacionam em uma razão de pequenos números inteiros. Numa ressonância 2:1, por exemplo, o planeta mais externo do par completa uma volta em torno da estrela no mesmo tempo em que o interior completa duas.

Os planetas de 24 Sextanis estão presos numa ressonância 2:1, que é o padrão mais comum e estável. Já os de HD 200964 estão num padrão 4:3.

Fonte: http://www.estadao.com.br/noticias/vidae,descobertos-pares-de-planetas-gigantes-ligados-entre-si,587225,0.htm

Pesquisadores italianos "acordaram" microorganismos adormecidos num meteorito de 4,5 bilhões de anos

Bactérias ETs são ressuscitadas
Pesquisadores italianos "acordaram" microorganismos adormecidos num meteorito de 4,5 bilhões de anos .Mil vezes menor que um milímetro, microorganismo extraído de meteorito volta à vida.
Sente-se numa cadeira e preste muita atenção. Pode ser verdade, pode ser loucura, mas o fato é que cientistas italianos da Universidade Federico II em Nápoles anunciaram ao jornal Corriere della Sera haver ressuscitado bactérias extraterrestres que estavam dormentes há 4,5 bilhões de anos. Seu berço era um meteorito encontrado em 1882 na Transilvânia, atual Romênia, e conservado no Museu Mineralógico de Nápoles. "Ao analisá-lo, nós o colocamos em contato com uma solução fisiológica. E nos demos conta que microorganismos tornaram-se visíveis e começaram a se mover", revela o professor de geologia Bruno Dargenio, de 65 anos. "São bactérias que caíram do espaço", acredita o cientista.
Achado na Transilvânia em 1882, esse meteorito é o berço das bactérias ETs. Batizadas de cristalomicróbios (ou cryms), as bactérias são de sete ou oito tipos. Mil vezes menores que o milímetro, assemelham-se às arqueobactérias, as mais antigas formas de vida que habitam nosso planeta e que sobrevivem nas chaminés termais fincadas no solo oceânico - aonde a luz do sol nunca chega e a escuridão é eterna. A descoberta, se comprovada, tem o potencial de provar que a origem da vida é extraterrestre. Nem mais nem menos.
Giuseppe Geraci exibe uma foto das bactérias escondidas na rocha de 4,5 bilhões de anos
Desde o anúncio feito em 1996 pela Nasa da descoberta de supostas bactérias fósseis num meteorito marciano achado na Antártida, a comunidade científica mundial começou a devassar todas as hipóteses possíveis para comprovar a existência de vida fora da terra. É aí que se insere o trabalho de Dargenio em colaboração com o biólogo molecular Giuseppe Geraci, também professor na Universidade Federico II. Além do meteorito romeno, eles encontraram bactérias similares em mais de 50 rochas sedimentares (como calcário) e ígneas (como granito) com idades entre 1 milhão e 2,3 bilhões de anos e provenientes de regiões como a Itália, a Europa Central e o Canadá.
O DNA das bactérias ETs é de um gênero novo, diferente dos 18 mil já conhecidos
"A probabilidade das rochas terem sido contaminadas por micróbios terrestres é muito baixa", garante Giovanni Bignami, diretor científico da Agência Espacial Italiana. "As amostras foram esterilizadas a 950 ºC mas as bactérias sempre voltavam a ressuscitar". No momento em que começaram a se multiplicar, as bactérias ETs foram colocadas em soluções de cultura dentro de tubos de ensaio. O passo seguinte foi analisar seu DNA, que é parecido com o das arqueobactérias, porém de um gênero diferente do 18 mil gêneros de bactérias terrestres.
Os micróbios do espaço são parecidos com as arqueobactérias, as formas mais antigas de vida da Terra e que vivem no solo oceânico .Segundo Bignami, a descoberta dos biólogos napolitanos é a mais forte evidência para sustentar a tese da origem extraterrestre para a vida na Terra. Agora só falta fazer a comunidade científica aprovar os resultados. Ou desqualificá-los. De qualquer modo, dada a tremenda importância da pesquisa, essa história fantástica ainda vai dar muito pano pra manga. A hipótese de que a vida tem origem extraterrestre é antiga e ganha novo impulso a partir de agora .
Fonte: Revista UFO