Loading...

Total de visualizações de página

Postagens populares

terça-feira, 1 de abril de 2014

OS 11 FATOS SURPREENDENTES SOBRE O SISTEMA CIRCULATÓRIO

O sistema circulatório inclui o coração, os vasos sanguíneos e o sangue, sendo vital para o combate a doenças e para a manutenção da homeostase (temperatura adequada e equilíbrio do pH). A principal função do sistema é o transporte de sangue, nutrientes, gases e hormonas de, e para, as células de todo o corpo.Aqui estão 11 divertidos e interessantes fatos surpreendentes sobre o sistema circulatório que você provavelmente desconhece. 11. O sistema circulatório é extremamente longo Se você tivesse medisse todas as artérias, veias e capilares de um adulto, de ponta a ponta, iria ocupar 100.000 quilómetros. Os vasos capilares, que são os menores vasos sanguíneos, compõem cerca de 80 por cento desse comprimento. Por comparação, a circunferência da Terra é de cerca de 40.000 km. Isso significa que os vasos sanguíneos de uma pessoa poderiam envolver todo o planeta cerca de 2,5 vezes! 10. Os glóbulos vermelhos têm que se espremer através dos vasos sanguíneos Os capilares são pequenos, com uma média de cerca de 8 microns (1/3000 de polegada) de diâmetro, ou cerca de um décimo do diâmetro de um fio de cabelo humano. Os glóbulos vermelhos são aproximadamente do mesmo tamanho dos capilares através dos quais eles viajam, portanto, essas células têm de se espremer para passar. Alguns capilares, no entanto, são ligeiramente menores em diâmetro do que as células do sangue, forçando as células a distorcer totalmente as suas formas para passar. 9. Corpos grandes têm batimentos cardíacos mais lentos Em todo o reino animal, a frequência cardíaca é inversamente proporcional ao tamanho do corpo: Em geral, quanto maior o animal, mais lenta será a sua frequência cardíaca de repouso. Um ser humano adulto tem uma frequência cardíaca de repouso média de cerca de 75 batimentos por minuto, a mesma taxa que uma ovelha adulta. Mas o coração de uma baleia azul é aproximadamente do tamanho de um carro compacto, e só bate cinco vezes por minuto. Por outro lado, um musaranho, tem uma frequência cardíaca de cerca de 1.000 batimentos por minuto. 8. O coração não precisa de um corpo Numa cena particularmente memorável no filme de 1984, "Indiana Jones e o Templo Perdido", um homem arranca o coração ainda a bater de outro homem. Enquanto a fácil remoção do coração de uma pessoa com a mão é coisa de ficção científica, o coração realmente ainda pode bater depois de ser removido do corpo. Esta pulsação estranha ocorre porque o coração gera os seus próprios impulsos elétricos, que causam o batimento. Enquanto o coração continua a receber oxigénio, ele irá continuar a bater, mesmo separado do resto do corpo. 7. As pessoas têm estudado o sistema circulatório há milhares de anos Os primeiros escritos conhecidos sobre o sistema circulatório aparecem no Papiro de Ebers, um documento médico egípcio que data do século 16 AC. Acredita-se que o papiro descreva uma ligação fisiológica entre o coração e as artérias, indicando que, após uma pessoa respirar ar para os pulmões, o ar entra no coração e, em seguida, flui para as artérias. Curiosamente, os antigos egípcios eram cardiocentricos - eles acreditavam que o coração, mais do que o cérebro, era a fonte de emoções, sabedoria e memória, entre outras coisas. De facto, durante o processo de mumificação, os egípcios cuidadosamente removiam e armazenavam o coração e outros órgãos, mas arrancavam o cérebro através do nariz e deitavam-no fora. 6. Médicos seguiram um modelo incorreto do sistema circulatório durante 1500 anos No século II, o médico e filósofo grego Galeno de Pérgamo criou um modelo credível para o sistema circulatório. Ele correctamente reconheceu que o sistema envolve sangue venoso (vermelho escuro) e sangue arterial (vermelho vivo), e que os dois tipos têm funções diferentes. No entanto, ele também propôs que o sistema circulatório é constituído por dois sistemas de uma forma de distribuição de sangue (ao invés de um único sistema unificado), e que o fígado produz sangue venoso que o corpo consome. Ele também pensou que o coração era um órgão de sucção, em vez de bombeamento. A teoria de Galeno reinou na medicina ocidental até 1600, quando o médico Inglês William Henry descreveu corretamente a circulação sanguínea. 5. Os glóbulos vermelhos são especiais Ao contrário da maioria das outras células do corpo, os glóbulos vermelhos não têm núcleo. Faltando esta grande estrutura interna, cada célula vermelha do sangue tem mais espaço para transportar o oxigénio que o corpo necessita. Mas, sem um núcleo, as células não se podem dividir ou sintetizar novos componentes celulares. Depois de circular no interior do corpo cerca de 120 vezes, um glóbulo vermelho morrerá de envelhecimento ou dano. Mas não se preocupe - a medula óssea fabrica constantemente novas células vermelhas do sangue para substituir as que perecem. 4. O fim de um relacionamento pode realmente "partir-lhe o coração" Uma condição chamada cardiomiopatia de stress implica um enfraquecimento temporário súbito do músculo do coração (o miocárdio). Isso resulta em sintomas semelhantes aos de um ataque cardíaco, incluindo dor no peito, falta de ar e dores no braço. A condição também é conhecida como "síndrome do coração partido", porque pode ser causada por um evento emocionalmente stressante, como a morte de um ente querido ou um divórcio, ou separação física de um ente querido. 3. Auto-experimentação levou a avanços circulatórios A cateterização cardíaca é um procedimento médico comum utilizado hoje em dia e envolve a inserção de um catéter (um tubo longo e fino) no vaso sanguíneo de um paciente até ao coração. Os médicos podem utilizar a técnica para executar uma série de testes de diagnóstico no coração, incluindo a medição dos níveis de oxigénio em diferentes partes do órgão e verificar o fluxo sanguíneo nas artérias coronárias. O médico alemão Werner Forssmann inventou o procedimento em 1929 - quando ele o executou em si mesmo. 2. O sangue humano tem cores diferentes - mas não é azul O sangue rico em oxigénio que flui através das suas artérias e capilares é vermelho brilhante. Depois de perder o seu oxigénio para os tecidos do corpo, o seu sangue torna-se vermelho-escuro, uma vez que regressa ao seu coração através das suas veias. Embora as veias às vezes pareçam azuis através da pele, o sangue não é realmente azul. A cor enganosa resulta da forma como diferentes comprimentos de onda de luz penetram a pele, são absorvidos e refletem de volta para os seus olhos - ou seja, apenas a luz de alta energia (azul) pode fazer o caminho todo. Mas isso não quer dizer que não exista sangue azul. O sangue da maioria dos moluscos e alguns artrópodes carece da hemoglobina do sangue humano, responsável pela sua tonalidade avermelhada e, em vez disso, contém a proteína hemocianina. Isso faz com que o sangue destes animais seja azul escuro quando oxigenado. 1. Viver no espaço afeta o sistema circulatório Aqui na Terra, o sangue de uma pessoa tende fluir para as pernas por causa da gravidade (as veias das pernas possuem válvulas que ajudam a manter o fluxo de sangue das pernas de volta ao coração). As coisas são diferentes no espaço. O sangue flui para o peito e cabeça (um fenómeno chamado desvio de líquidos), fazendo com que os astronautas tenham nariz entupido, dores de cabeça e rostos inchados. Este deslocamento do fluidos faz com que também o coração aumente para poder lidar com o aumento do fluxo sanguíneo na área em torno do órgão. FONTE:ciencia-online

Nenhum comentário: