Loading...

Total de visualizações de página

Postagens populares

segunda-feira, 7 de abril de 2014

AS 10 GALÁXIAS MAIS BIZARRAS DO UNIVERSO

Toda a gente já viu imagens de galáxias nos nossos livros de ciências de ensino fundamental, mas o que você talvez não saiba é que nem todas as galáxias são iguais. Na verdade, algumas delas têm uma aparência completamente bizarra e esquisita que não as deixam passar despercebidas ao olhar científico. Enquanto a Via Láctea pode parecer primitiva e quase impecável, as galáxias abaixo listadas são as pobres crianças com dentes tortos do cosmos. Conheça 10 galáxias com formatos que se distinguem e diferenciam totalmente da nossa Via Láctea pela sua aparência bizarra. 10. OBJETO DE HOAG Este objeto raro quase se assemelha a duas galáxias distintas, com o seu grupo amarelo brilhante de estrelas no centro e um anel azul de estrelas separadas do grupo por um grande vazio do espaço. Mas de facto trata-se de apenas uma galáxia.
Ainda assim a ciência teve grandes dificuldades em resolver o problema de como o objeto de Hoag se formou. De facto, apenas a rotularam como um tipo de galáxia anel e seguiram em frente. Quer um exemplo de outra galáxia deste tipo? Olhe para dentro da extremidade superior do anel. 9. ARP 87 Arp 87 é quando duas galáxias embatem uma na outra e somente uma sobrevive. As colisões galácticas são realmente muito comuns e, por vezes, resultam numa série de quase-acidentes, como o que está a acontecer aqui. Estas duas galáxias quase embateram uma na outra há alguns bilhões de anos atrás e a gravidade tem viciado o material entre as duas quando elas se separaram.
É provável que elas voltem a correr na direção uma da outra numa série de quase-acidentes, até que finalmente se fundam numa grande galáxia. Por enquanto, ambas as galáxias permanecem amarradas juntas por uma fina corrente de estrelas, gás e partículas de poeira. 8. GALÁXIAS DAS ANTENAS Aqui, temos outro par de galáxias que se devoraram mutuamente, mas estão muito mais avançadas ao longo do processo. A única maneira de se poder dizer que costumava haver duas galáxias aqui é pelos cachos amarelos das estrelas em cada ponta que costumavam ser os centros galácticos.
Agora, como uma gigante bolha amorfa, estas galáxias estão lentamente a mover-se em direção a um estado de equilíbrio que resultará no formato final da nova galáxia. A maioria dos aglomerados de estrelas existentes atualmente neste par galáctico irá separar-se antes que a nova galáxia esteja totalmente formada e somente os maiores clusters sobreviverão à fusão. Talvez a coisa mais interessante que podemos aprender a partir da observação desse processo é o que vai acontecer quando a Via Láctea, inevitavelmente, se fundir com a vizinha galáxia de Andrômeda, que está vindo na nossa direção. Tal facto irá ocorrer daqui a alguns bilhões de anos. 7. GALÁXIA SOMBRERO A galáxia do Sombrero, obviamente, tem uma notável semelhança com o chapéu com o mesmo nome. Quando olhamos para o bojo um pouco mais de perto, podemos ver que é, na verdade, composto por vários grupos diferentes de estrelas, em vez de apenas uma grande.
A borda é muito estranha: Os seus intrincados detalhes são mais uma daquelas coisas sobre o espaço que fazem com que a ciência não tenha respostas. Não temos a certeza de como os anéis como este foram capazes de se formar. No coração da galáxia deve existir um buraco negro maciço. 6. CENTAURUS A Para o olho destreinado, pode ser difícil distinguir Centaurus A como algo notável, mas quando se olha mais de perto, há algo peculiar a acontecer. Centaurus A é grande para os padrões de galáxias e as grandes galáxias muitas vezes vêm num dos dois sabores: espirais e elípticas.
Mas quando os astrónomos olhara para esta galáxia utilizando imagens de rádio para perscrutar através do véu de poeira, revelaram uma espiral escondida por baixo. Isto é completamente estranho, dado que as galáxias são, geralmente, uma ou outra. É a única galáxia elíptica que já descoberta que tem braços espirais. A teoria é que Centaurus A absorveu uma galáxia espiral há alguns milhões de anos atrás, mas essas fusões não costumam deixar os braços espirais intactos, por isso não temos ideia do que está a acontecer aqui. 5. SOUTHERN PINWHEEL Localizado na constelação de Hydra, a galáxia Southern Pinwheel, também conhecida como M83, é uma das galáxias mais brilhantes do nosso céu noturno. Há cerca de 250 anos era considerada uma nuvem de gás até que fomos capazes de lhe dar um olhar muito mais próximo.
As cores vibrantes neste enorme redemoinho de rosa e roxo são a característica mais distinta desta galáxia, além das frequentes explosões de supernovas observadas por astrônomos. Atualmente, oito supernovas ativas foram observadas na galáxia. A cor rosa é um resultado direto das novas estrelas formadas no sistema, que libertam uma imensa quantidade de energia UV. Esta energia é absorvida pela poeira e gás circundante, transformando-o em rosa. 4. NGC 474 NGC 474 parece-se menos com uma galáxia e mais como um daqueles estranhos peixes bioluminescentes que se encontram na planície abissal do oceano. Os astrônomos não estão inteiramente certos do que está a causar a descarga de tanta energia da galáxia, havendo duas teorias prevalecentes.
Em primeiro lugar, as conchas poderiam ser os restos de galáxias menores absorvidas por NGC 474. De igual forma, também poderiam ser resultado de interações de maré com a galáxia por trás dela, vendo como elas estão no processo de colisão uma com a outra. Devido a essas camadas externas bizarras, aprendemos que as galáxias mais conhecidas têm halos irregulares ao redor delas, como resultado de colisões com outras galáxias no passado recente, a uma escala cósmica. 3. NGC 660 Esta é um tipo raro de galáxia chamada galáxia de anel polar. São tão raras que só foram descobertas cerca de uma dúzia até à data. Estas galáxias têm anéis, estrelas, poeira, detritos e outras coisas de galáxias numa órbita quase perpendicular ao disco simples da galáxia.
De onde vem todo este material? Provavelmente terá sido desviado de uma galáxia que passava por perto há muito tempo. O anel é mais do que o disco galáctico e os astrónomos estão a observar de perto para ver como a atração gravitacional da matéria escura afeta o disco, num esforço para aprender mais sobre a matéria escura em si. 2. PORPOISE Um olhar para a galáxia porpoise, ou NGC 2936, vai dizer-lhe exatamente de onde o nome vem. Parece um golfinho, embora alguns digam que se parece mais com um pinguim a proteger um ovo. Na realidade, é um sistema de duas galáxias: o "golfinho" é na verdade parte da NG 2936, enquanto o "ovo" é Arp 142.
A parte do golfinho costumava ser uma galáxia espiral semelhante à Via Láctea, mas as imensas forças gravitacionais da galáxia mais densa abaixo tem contorcido a sua forma significativamente. Esta galáxia está também dentro da constelação de Hydra. Em aproximadamente um bilhão de anos, ou até mesmo mais, o par de galáxias irá fundir-se numa só. Assim, e por enquanto, vamos apenas desfrutar do equivalente galáctico de um palhaço a fazer animais de balão. 1. GALÁXIA DO OLHO NEGRO É possível que uma galáxia pareça maléfica? A galáxia do olho negro (também chamada de M64 ou de galáxia da Bela Adormecida) está repleta de nascimentos de estrelas, como a cor avermelhada indica. De facto, a cor vermelha significa a presença de uma grande quantidade de hidrogênio, o que significa que se estão a formar estrelas.
Estranhamente, as estrelas e o gás na parte avermelhada da galáxia estão todas a girar numa direção, enquanto a imensa nuvem de gás e poeira em torno que gira para o lado oposto. Apesar disso ser realmente bizarro, é explicado da mesma maneira como a maioria das irregularidades de galáxias: é mais provável ser o resultado da fusão de duas galáxias. FONTE: Listverse

Nenhum comentário: